#(11) 5084-1280 contato@aktaliv.com.br Seg - Sab: 06:00 - 20:00

Hipertensão e Endocrinologia: Glândula Adrenal (Entrevista para o Programa Você Bonita – Parte I)

Participação da Dra. Ana Priscila Soggia no programa Você Bonita da TV Gazeta em 11/06/2020. Apresentadora Carol Minhoto. Transcrição parcial do programa com foco nos distúrbios da glândula adrenal que podem contribuir para a hipertensão. 
Para assistir a entrevista na íntegra e saber mais sobre como o sistema endócrino pode influenciar em quadros de hipertensão , assista ao vídeo no final deste post! 
Para ver o nosso segundo blog post com a transcrição da última parte do programa e que teve como foco distúrbios da tireoide, paratireoide, ovários e gordura visceral que podem contribuir para a hipertensão, clique aqui.

Carol Minhoto – De volta com o nosso Você Bonita e com ela mais uma vez,  a Endocrinologista Dra. Ana Priscila Soggia. Assunto super sério, importantíssimo, até porque vamos fazer uma breve introdução a respeito da hipertensão. Mas parece que os números só aumentam. E eu dei uma olhada e parece que a cada ano aumenta e que as pessoas muitas vezes acham que, em algum momento, se aquilo se equilibra ou se essa a hipertensão fica controlada elas não precisam fazer mais nada. Acham que tá tudo mas é perigoso, né?

Dra. Ana Priscila – Exatamente porque se a gente for olhar os números atuais do Ministério da Saúde apontam para quase 30% (trinta por cento) da população com hipertensão. E se a gente for ver a faixa etária de idosos, esse número pode atingir até 60% (sessenta por cento). Ou seja, é muita gente com hipertensão e, muitas vezes, a gente não consegue avaliar a causa exata dessa hipertensão. E é sobre isto que a gente vai conversar hoje.

Carol Minhoto – E como é que a gente então entende o que é a hipertensão?

Dra. Ana Priscila – Então o nome hipertensão é um termo médico – Hipertensão Arterial – e por definição é quando esses níveis pressóricos sanguíneos se elevam. E como é que é dada essa pressão no sangue? Então o coração bombeia o sangue e ele faz uma pressão contra os vasos do nosso organismo e o vaso responde ao contrário. Então nessa luta entre o bombeamento sanguíneo e vaso é a pressão. Só que alguns pacientes tem estes valores elevados e isso pode comprometer órgãos alvo.

O que significa comprometer órgãos alvo? Significa que eu posso aumentar meu risco de doença cardiovascular como infarto ou AVC. Pode aumentar o meu risco de insuficiência renal crônica e, muitas vezes, levar a uma lesão renal a ponto de precisar fazer uma diálise. Então a gente tem que manter esses valores pressóricos controlados por que é todo o nosso corpo que ele vai afetar.

Dra. Ana Priscila Soggia

Carol Minhoto – E aí quando a gente comenta sobre a hipertensão fala-se muito que é uma doença assintomática porém, em alguns momentos, ela pode apresentar alguns sintomas, né?

Dra. Ana Priscila –  Ela realmente é silenciosa. Então quando a gente fala de síndrome metabólica como por exemplo a diabetes ou a hipertensão, no começo dessas doenças elas são assintomática. Se a pessoa não sente nada, é muito silencioso. E, muitas vezes, quando ela vai fazer o diagnóstico porque ela começou a ter sintomas como dor de cabeça, tontura, zumbido, esses valores de pressão já estão muito altos. Então a gente pega essa doença depois de anos que a pessoa já tem um valor alto e podendo comprometer o organismo da pessoa.

Carol Minhoto –  E caso isso aconteça, quais são alguns pontos que a gente tem que ficar atento que podem demonstrar que essa pressão pode estar mais para alta?

Dra. Ana Priscila – A primeira coisa é sempre avaliar a pressão, ter um acompanhamento médico preventivo. Acompanhar a cada seis meses e sempre aferir a pressão.

Sintomas que chamam atenção para hipertensão - dor de cabeça, tontura, zumbido, dores no peito, mal estar. Pensar: Opa, essa dor de cabeça está recorrente, não passa. Vamos aferir a pressão se ela não pode ser uma das causas dessa dor de cabeça?

Dra. Ana priscila soggia

Carol Minhoto – Então antes de falar da alimentação tem uma questão de novos valores. Explica pra gente entender então como é dado esse diagnóstico?

Dra. Ana Priscila – Existe o padrão ouro que define que aquela pessoa tem pressão alta e que deve fazer um tratamento. A gente percebe que valores que a gente antes considerava normais já põe em risco do ponto de vista cardiovascular.  

Dra. Ana Priscila – A gente vai começar falando da adrenal. Então, a adrenal é uma glândula que ela é ouro. Ela é muito importante quando a gente fala  de hipertensão. Por quê?

A gente tem três hormônios produzidos pela glândula adrenal que podem causar hipertensão – o cortisol, a aldosterona e a noradrenalina. Esses três hormônios, quando em excesso podem causar hipertensão.

Então pacientes nessas situações ou que têm pressões que ficam muito altas e muito baixas, taquicardia, tremor, pode ser excesso de noradrenalina. Se for um paciente que tem muitas cãibras, tem um potássio mais baixo pode ser um excesso de aldosterona. Se for um paciente que fica ganhando peso, tem fraqueza tem, aquelas estrias, face de lua cheia, pode ser um excesso de cortisol. Puxa, além da pressão alta tem tudo que a gente comentou, tem que falar com o médico.

Todos esses excessos de hormônio da adrenal causam um potássio mais baixo, cãibras e dor muscular

Então alimentos ricos em potássio como por exemplo a banana, o queijo, o brócolis, vão ajudar muito nesse processo. Outra coisa que a gente também pode acrescentar na alimentação para tentar diminuir os valores principalmente da aldosterona, que é um hormônio produzido pela adrenal, são alimentos que aumentam a serotonina. Porque? Porque quando aumenta a serotonina e a dopamina, cai o cortisol, cai a aldosterona. E que alimentos são esses? Tudo que tem triptofano, que tem fenilalanina como amendoim e queijo, arroz integral, leite, etc.

dra. ana priscila soggia

Carol Minhoto – Então doutora, você citou a questão alimentar, que é super importante para ajudas nos sintomas, porém o que envolve o tratamento quando a gente fala da questão da adrenal?

Dra. Ana Priscila – Quais são os exames que o médico tem que pedir? Para avaliar a aldosterona a gente tem que pedir um exame hormonal chamado aldosterona e renina. De acordo com a relação deles eu prossigo na investigação. A maior parte das vezes, é um nódulo na adrenal que está produzindo muito hormônio e, na maior parte das vezes, o tratamento é cirúrgico. Mas, quando a gente opta por não fazer o tratamento cirúrgico, aí a alimentação é fundamental para conseguir balancear esses níveis hormonais.

Pergunta do público:

Tenho 41 anos e já tomo o remédio de pressão alta a três. Qual é a alimentação então que pode ajudar?

Dra. Ana Priscila – Em relação à alimentação (não descartando a consulta com seu médico) esse grupo de alimentos que a gente discutiu vai ajudar muito porque são alimentos que na verdade levam a uma queda dos níveis pressóricos, uma regularização hormonal. E, falando em prejudicar, a gente tirar o excesso de sódio também vai fazer bastante benefício.

Na Clínica AKTA Liv trabalhamos primariamente com pacientes que apresentam transtornos alimentares, obesos, com sobrepeso e com morbidades relacionadas ao excesso de gordura.
A obesidade já é considerada um problema de saúde pública e pode acarretar em sérios problemas para a saúde, como diabetes, hipertensão arterial, cardiopatias, problemas respiratórios, degeneração articular, dentre outros.
Todos os tratamentos oferecidos na Clínica AKTA Liv focam na perda e manutenção de peso a partir da adoção de hábitos de vida saudáveis, melhora da autoestima e, consequentemente, saúde e bem estar. Se você acredita que a Clínica AKTA Liv pode te ajudar, entre em contato conosco e agende uma consulta!
× WhatsApp