Envelhecimento e Ganho de Peso

Já repararam o quanto é frequente a tendência de ganho de peso após os 40 anos? Principalmente com predomínio da gordura abdominal.

Isso ocorre por diversos fatores, alguns que fazem parte do envelhecimento natural e outros associados aos hábitos de vida.

Em relação a nossa genética e ao tempo, há um processo de perda de massa magra (músculos) progressivo, que se inicia principalmente após os 30 anos de idade e torna-se mais evidente conforme as décadas passam. Perdemos cerca de 0,5 a 1% de massa magra ao ano, e por volta dos 60 anos, isso se acentua, chegando de 1 a 1,5% ao ano.

Ao perder músculos, reduzimos o nosso gasto de energia diário, já que o músculo é responsável pelo consumo dos lipídios (gordura) em repouso, que chamamos de metabolismo basal. Além disso, ocorre também enfraquecimento muscular e maior risco de quedas, fraturas, redução de agilidade motora, dores. Conforme a musculatura reduz, gastamos menos energia por dia para nos mantermos vivos, e assim precisaríamos comer cada vez menos para manter o peso, já que a energia que sobra é acumulada em gordura.

Com a perda de massa muscular e aumento da gordura corporal, aumentamos o risco de desenvolver várias doenças, e ainda temos mais facilidade de engordar, necessitando de uma dieta cada vez mais restrita se não quisermos aumentar o número da balança.

Além disso, nossos hormônios também reduzem sua eficiência. Eles são responsáveis também por manter nosso metabolismo mais rápido, por formar músculos e direcionar a gordura para locais específicos. Com menos hormônios femininos naturais por exemplo, como na menopausa, a mulher perde parte da capacidade de distribuir a gordura em locais femininos, como os glúteos, e começa a acumular mais gordura no abdômen e também nos órgãos, a chamada gordura visceral, que pode causar doenças infarto do miocárdio, diabetes, esteatose hepática, AVC,  entre outras situações que irão prejudicar nossa saúde.

Além desses fatores, há o comportamento, aquele hábito da pizza no dia mais cansativo, a correria que faz abandonar o exercício para dar atenção aos filhos, a facilidade da comida pronta e calórica não nutritiva, associada ao sabor de fácil costume dos alimentos mais gordurosos e açucarados, podem levar muita gente a chegar nessa faixa etária com esses hábitos e por consequência ganharem ainda mais peso.

 

É importante lembrar que na terceira idade ocorre uma mudança no que é considerado normal 

Há alteração nos valores de circunferência abdominal e IMC que são considerados normais nos idosos.

 

E como mudar isso e não sofrer com os quilos extras “da idade”?

Uma grande estratégia é encaixar atividade física na sua vida, que fará com que os músculos se mantenham ou aumentem, não deixando seu metabolismo diminuir. Para que isso seja mais eficaz, é fundamental uma alimentação equilibrada a fim de que sejam fornecidos os nutrientes adequados para a massa muscular e reduzir os excessos que se transformam em gordura.

Para que tudo isso aconteça recomenda-se buscar orientação profissional de uma equipe especializada no assunto sempre que possível para melhor segurança e eficácia nos seus resultados, já que os profissionais podem te ajudar como se exercitar, se alimentar melhor, trocar os hábitos e cuidar das eventuais doenças e características do seu corpo com todo o profissionalismo e conhecimento necessário.

 

Dra Renata Gonçalves Campos

Endocrinologista do Centro Terapêutico Akta Liv

CRM 135.847

 

Links úteis:

Terceira Idade e o Idade Ativa

Akta Liv Emagrecimento

Inchaço e as mulheres

Metabolismo e Gordura Marrom

Calorimetria Indireta

Tratamento Metabólico

Alimentação Termogênica

Atividade Física