A terceira idade e o Pilates

A população está envelhecendo e a maioria das pessoas pode esperar viver mais do que 60 anos. Uma vida mais longa traz consigo a oportunidade de aproveitar ainda mais os momentos, o amadurecimento, a família e também descobrir novos caminhos para evitar a perda das habilidades comumente associada ao envelhecimento que impacta a independência.

A diminuição da massa óssea e muscular, a fraqueza, as quedas e as dores no corpo são algumas das características do envelhecimento. Porém, é possível ter melhora dessas alterações através dos exercícios de pilates.

O método de Pilates foi criado por Joseph Pilates, que praticou seu método até mais de 80 anos e diziam que possuía uma agilidade de um adolescente. Inicialmente o método foi chamado de contrologia, com o objetivo de desenvolver um corpo uniforme, corrigir posturas inadequadas, restaurar a vitalidade física e vigorar a mente e o espírito. Os princípios básicos estão relacionados com a respiração, a concentração, a estabilização, o controle, a precisão e a fluidez durante a execução dos exercícios.

Os exercícios de pilates trabalham a força, a flexibilidade e a consciência corporal com movimentos coordenados com a respiração, com o foco na execução harmônica e não na quantidade de repetições. Torna – se uma das melhores alternativas para esse público por trabalhar com exercícios de baixo impacto, com os músculos específicos de acordo com a necessidade de cada praticante, com a coordenação, o fortalecimento, a conservação da massa muscular e o condicionamento cardiovascular. Corrigindo a postura através de exercícios de alongamentos que estimulam o corpo a obter uma maior flexibilidade, melhorando as articulações propensas à artrose e dores generalizadas. Além disso, o trabalho muscular melhora os músculos profundos, entre eles os que controlam o fluxo da urina e impurezas sólidas do corpo, prevenindo as incontinências fecais e urinárias, muito frequentes nesta faixa etária.

A prática do método Pilates proporciona satisfação do praticante, aumento da rede social do idoso e melhora da qualidade de vida consequentemente. Outros benefícios para os idosos praticantes do Pilates são: alívio da dor, alívio do estresse, prevenção de lesões, melhora dos reflexos, melhora a mobilidade, melhora a flexibilidade, maior percepção dos movimentos, melhora do equilíbrio, melhora da velocidade de andar, melhora da auto-estima, diminuição da depressão, mantém o peso corporal, fortalece os músculos das pernas e costas, contribuição na manutenção e/ou aumento da densidade óssea, ajuda no controle do Diabetes, artrite e doenças cardiovasculares e  melhora das reações posturais.

Visto os benefícios citados no decorrer deste texto notamos que o Pilates é uma ótima alternativa, sendo inclusive recomendada por médicos. E quanto mais cedo o aluno começar a cuidar da sua saúde com alimentação e exercícios físicos, melhor é. Cabe a nós, instrutores, passar corretamente os exercícios para que os idosos atinjam os seus objetivos traçados no inicio da prática e, consequentemente, os outros benefícios globalmente.

“ Se aos 30 anos você está sem flexibilidade e fora de forma, você é um velho. Se aos 60 anos você é flexível e forte, você é um jovem. ” _ Joseph Pilates

 

Dra Wanessa Soldera

Fisioterapeuta e Instrutora de Pilates do Centro Terapêutico AKTA Liv

Crefito:  134.147-f

 

Links Úteis

Emagrecimento e Pilates

Diabetes e Pilates

O método Pilates