Meu bebê chora, é fome?

Muitos estudos se referem ao início da vida e as descobertas de um bebê sobre quem ele é e como sobreviver diante de um universo com tantas adversidades .

Gostaria de propor um momento de reflexão para as mamães de primeira viagem….

Já sabemos o quão importante é a relação mãe-bebê para o desenvolvimento de laços afetivos e relacionais do bebê, e muitas são as demandas de um pequeno que apenas sabe chorar quando sente desconforto ou dor.

Minha experiência clínica confirma que muitas mães oferecem o leite, seja o materno ou mamadeira, quando seu bebê chora. A criança rapidamente é suprida com o alimento o que por vezes pode acalmar o bebê e a mãe.  Mas será que isso é o melhor a se fazer ?

Uma mãe mais ansiosa não esperará um pouco para identificar do que se trata aquele choro, porque provavelmente seja muito difícil vê-lo chorar, mas se não for através do choro, como seu bebê pode comunicar que algo esta desconfortável ?

Estudos apontam a riqueza deste momento em que as mães podem mergulhar no universo infantil e descobrir uma maneira individual de comunicação com seu filho, à fala mamanhês que através de expressão facial e gestos ajudam a criança a descobrir o afeto; as brincadeiras e joguinhos que a mãe faz, alterando o tom de voz favorecem a revelação da identidade do bebê. Ele descobre aos poucos que é um indivíduo separado da mãe e, portanto, com suas particularidades que podem ser nomeadas pela mesma como um bebê sapeca,  esperto, teimoso, exigente, bonzinho e tantos outros adjetivos.

Crianças que desde muito pequenas são alimentadas quando choram, ou algo desconfortável ocorre, geralmente serão adultos que terão dificuldade em separar a comida do afeto, porque o alimento entrou no lugar das palavras que dão significado as experiências da vida.

Deixo aqui um alerta para que as mães se atentem para estas questões e ajudem seus filhos a construírem uma relação saudável com a comida. Não estou dizendo que deixem seus bebês chorarem indefinidamente, mas que procurem identificar a real causa do desconforto, que pode ir desde a fome, que deverá ser suprida, até uma fralda colocada de maneira desajeitada ou um desejo de aconchego.

 

Karen Maciel Tomac

Psicóloga especialista em atendimento Infantil e integrante da equipe do Centro Terapêutico Akta Liv

CRP: 06/48802

 

Links Úteis:

Aspectos Emocionais na Obesidade Infantil

Meu filho tem diabetes.E agora?

Consequências da Obesidade Infantil

Akta Liv Kids

Akta Liv Diabetes

Diabetes na Infância