Dieta cetogênica traz benefícios para diabéticos tipo 2?

Uma dúvida frequente entre pessoas com diabetes tipo 2 é sobre a segurança e os benefícios da dieta cetogênica para sua saúde.

Saslow e sua equipe investigaram os efeitos de dois tipos de dietas com diferentes quantidades de carboidratos no índice glicêmico de indivíduos diabéticos tipo 2 e pré-diabéticos.

Foram selecionados indivíduos maiores que 18 anos, com IMC maior ou igual 25 kg/m2, que apresentavam hemoglobina glicada maior que 6% e que não faziam uso de insulina ou mais de 3 hipoglicemiantes orais. Os participantes frequentaram 19 aulas de 2 horas de duração durante 12 meses. Um grupo foi instruído à seguir uma dieta cetogênica (baixa em carboidratos) (DBC), sendo que poderiam consumir 20 a 50g de carboidratos conforme preferência. Eles tinham uma meta de atingir níveis de cetonas sanguíneas (betahidroxibutirato) de 0,5 a 3 mmol mensurados duas vezes na semana. O outro grupo recebeu orientações para realização de uma dieta moderada em carboidratos (45 a 50% do VET), com calorias restritas e baixa em gorduras (não mais que 500 Kcal por dia) (DMC), e a meta calórica foi calculada visando perda de peso. Os dois grupos foram orientados sobre a importância de dormirem bem e realizarem exercícios físicos, e também sobre estratégias comportamentais de efeito positivo e mindful eating. Para avaliar os resultados, foram colhidas amostras de sangue para mensurar HbA1c, lipídeos, glicemia e insulinemia de jejum e proteína C reativa. Os participantes registraram suas refeições em um programa específico ao início do estudo, aos 3, 6 e 12 meses de acompanhamento.

Foram randomizados 34 participantes, sendo 16 para o grupo DBC e 18 para o grupo DMC. O grupo DBC consumiu menores quantidades de carboidratos, e maiores quantidades de gorduras e proteínas, sem que isso representasse diferença significativa na quantidade de calorias consumidas entre os grupos. Participantes do grupo DBC tiveram uma redução maior da HbA1c que o grupo DMC aos 6 e 12 meses (p=0,001 e p=0,007, respectivamente). Aos 12 meses, participantes do grupo DBC perderam mais peso e reduziram seus IMC mais que os participantes do grupo DMC (p<0,001). Com 6 meses, os níveis de LDL aumentaram mais no grupo DBC, no entanto, essa diferença não se manteve aos 12 meses. A razão triglicérides/colesterol diminuiu mais no grupo DBC que no grupo DMC em 12 meses. Os demais parâmetros biológicos não apresentaram diferença significativa entre os grupos. Os participantes no grupo DBC reduziram o uso de medicamentos relacionados à diabetes mais que os participantes do grupo DMC. Dos indivíduos que utilizavam metformina ao início do estudo, 3/10 descontinuaram seu uso no grupo DBC enquanto 0/10 o descontinuaram no grupo DMC, o que, no entanto, não foi significativo (p=0,08).

A partir destes resultados, os autores concluíram que em um período de 12 meses, adultos com HbA1c e peso corporal elevados obtiveram maiores reduções destes parâmetros e reduziram mais o uso de medicamentos ao realizarem uma dieta cetogênica – baixa em carboidratos -quando comparados à pacientes que realizaram dieta moderada em carboidratos.

 

Dra Ana Maria Delospital

Nutricionista do Centro Terapêutico Akta Liv

CRN 17.279

 

Akta Liv Emagrecimento

Emagrecimento Rápido

Fundamentos do Método de Emagrecimento Akta Liv

Dieta Cetogênica

Very Low Calorie Diets

Metabolismo e Gordura Marrom

Calorimetria Indireta

Tratamento Metabólico

Alimentação Termogênica

Referência:

Saslow LR, Daubenmier JJ, Moskowitz JT, Kim S, Murphy EJ, Phinney SD, Ploutz-Snyder R, Goldman V, Cox RM, Mason AE, Moran P, Hecht FM. Twelve-month outcomes of a randomized trial of a moderate-carbohydrate versus very low-carbohydrate diet in overweight adults with type 2 diabetes mellitus or prediabetes. Nutr Diabetes. 2017 Dec 21;7(12):304.