Dicas do que observar na hora de comprar e consumir alimentos

Cada dia mais, a população está preocupada com a sua saúde e busca uma alimentação mais saudável com aumento do consumo de alimentos saudáveis.

Muitos desses alimentos procurados são industrializados e é preciso ficar atento porque nem todos são realmente saudáveis como anunciados. Por isso, é importante analisar o rótulo, informação nutricional e ingredientes do produto.

Mas o que se deve analisar então?

É fundamental verificar o rótulo do produto para saber as informações nutricionais e a sua composição em relação a quantidade de macronutrientes fundamentais: proteínas, carboidratos e gorduras. Vale ressaltar que a porção na embalagem leva em consideração uma dieta de 2000 calorias, ou seja, a porção do produto não é a mesma para todos porque varia de acordo com a necessidade nutricional individual.

Outra dica importante é olhar os ingredientes: eles estão descritos por ordem de quantidade, ou seja, o primeiro ingrediente é sempre o que tem em maior quantidade no produto.

É preciso destacar também que nem sempre um produto light ou diet é saudável, logo cuidado com os abusos no consumo. Muitos desses produtos são feitos para uma dieta específica (sem açúcar, com menos carboidratos, com menos sódio) e costumam ter mais gorduras, por isso não são indicados para todas as pessoas. O consumo desses alimentos deve atender a sua necessidade nutricional.

Por fim, a maioria dos alimentos industrializados é rica em conservantes, corantes, sódio, gordura e aditivos alimentares. Portanto, o ideal é buscar aumentar o consumo de alimentos in natura, ou seja, alimentos naturais que são ricos em vitaminas e minerais. Mas se for comprar e consumir alimentos industrializados fique atento nas informações nutricionais e ingredientes. Sempre opte pelos produtos com menos ingredientes, que serão mais naturais e saudáveis.

 

Dra Mayara Vieira Benetti

Nutricionista do Centro Terapêutico AKTA Liv

CRN 40.996

 

Links úteis:

Akta Liv Emagrecimento

Metabolismo e Gordura Marrom

Calorimetria Indireta

Tratamento Metabólico

Alimentação Termogênica

Atividade Física

Envelhecimento e Ganho de Peso

Já repararam o quanto é frequente a tendência de ganho de peso após os 40 anos? Principalmente com predomínio da gordura abdominal.

Isso ocorre por diversos fatores, alguns que fazem parte do envelhecimento natural e outros associados aos hábitos de vida.

Em relação a nossa genética e ao tempo, há um processo de perda de massa magra (músculos) progressivo, que se inicia principalmente após os 30 anos de idade e torna-se mais evidente conforme as décadas passam. Perdemos cerca de 0,5 a 1% de massa magra ao ano, e por volta dos 60 anos, isso se acentua, chegando de 1 a 1,5% ao ano.

Ao perder músculos, reduzimos o nosso gasto de energia diário, já que o músculo é responsável pelo consumo dos lipídios (gordura) em repouso, que chamamos de metabolismo basal. Além disso, ocorre também enfraquecimento muscular e maior risco de quedas, fraturas, redução de agilidade motora, dores. Conforme a musculatura reduz, gastamos menos energia por dia para nos mantermos vivos, e assim precisaríamos comer cada vez menos para manter o peso, já que a energia que sobra é acumulada em gordura.

Com a perda de massa muscular e aumento da gordura corporal, aumentamos o risco de desenvolver várias doenças, e ainda temos mais facilidade de engordar, necessitando de uma dieta cada vez mais restrita se não quisermos aumentar o número da balança.

Além disso, nossos hormônios também reduzem sua eficiência. Eles são responsáveis também por manter nosso metabolismo mais rápido, por formar músculos e direcionar a gordura para locais específicos. Com menos hormônios femininos naturais por exemplo, como na menopausa, a mulher perde parte da capacidade de distribuir a gordura em locais femininos, como os glúteos, e começa a acumular mais gordura no abdômen e também nos órgãos, a chamada gordura visceral, que pode causar doenças infarto do miocárdio, diabetes, esteatose hepática, AVC,  entre outras situações que irão prejudicar nossa saúde.

Além desses fatores, há o comportamento, aquele hábito da pizza no dia mais cansativo, a correria que faz abandonar o exercício para dar atenção aos filhos, a facilidade da comida pronta e calórica não nutritiva, associada ao sabor de fácil costume dos alimentos mais gordurosos e açucarados, podem levar muita gente a chegar nessa faixa etária com esses hábitos e por consequência ganharem ainda mais peso.

 

É importante lembrar que na terceira idade ocorre uma mudança no que é considerado normal 

Há alteração nos valores de circunferência abdominal e IMC que são considerados normais nos idosos.

 

E como mudar isso e não sofrer com os quilos extras “da idade”?

Uma grande estratégia é encaixar atividade física na sua vida, que fará com que os músculos se mantenham ou aumentem, não deixando seu metabolismo diminuir. Para que isso seja mais eficaz, é fundamental uma alimentação equilibrada a fim de que sejam fornecidos os nutrientes adequados para a massa muscular e reduzir os excessos que se transformam em gordura.

Para que tudo isso aconteça recomenda-se buscar orientação profissional de uma equipe especializada no assunto sempre que possível para melhor segurança e eficácia nos seus resultados, já que os profissionais podem te ajudar como se exercitar, se alimentar melhor, trocar os hábitos e cuidar das eventuais doenças e características do seu corpo com todo o profissionalismo e conhecimento necessário.

 

Dra Renata Gonçalves Campos

Endocrinologista do Centro Terapêutico Akta Liv

CRM 135.847

 

Links úteis:

Terceira Idade e o Idade Ativa

Akta Liv Emagrecimento

Inchaço e as mulheres

Metabolismo e Gordura Marrom

Calorimetria Indireta

Tratamento Metabólico

Alimentação Termogênica

Atividade Física

Por que mulheres retêm mais líquido que homens?

Uma queixa que é muito comum em consultório por parte das mulheres, mas raramente se ouve de homens é: doutora, estou inchada. Mas, por que isso é mais frequente nas mulheres?
Primeiro, é preciso entender o ciclo menstrual da mulher. Se considerarmos um ciclo de 28 dias, nos primeiros 14 dias, a mulher produz mais hormônio estrogênio. No entanto, após a ovulação, ela passa a produzir progesterona, hormônio importante para preparar o útero para receber um possível embrião. Uma das ações desse hormônio é justamente a retenção hídrica e por esse motivo, próximo ao início da menstruação, muitas mulheres se queixam de estarem mais inchadas do que de costume. Já os homens não apresentam essas variações hormonais.
Ainda para somar a esse fato, muitas mulheres utilizam contraceptivos hormonais orais ou injetáveis, que contêm progesteronas sintéticas que podem promover edema maior do que a progesterona produzida pelo próprio organismo.
Outra causa de inchaço é a insuficiência venosa crônica, cujo sintoma mais conhecido são as varizes, sendo uma doença mais comum entre mulheres. Nessa condição o edema ocorre nas pernas da paciente.
Reduzir o consumo de sal, seja em produtos industrializados ou nos alimentos que preparamos, pode contribuir para melhora do edema, já que o excesso do sal da dieta contribui para aumentar a retenção hídrica.
O edema nas pernas causado pela insuficiência venosa crônica pode ser aliviado pelo uso de meias de compressão, no entanto um médico deve avaliar a necessidade de seu uso e qual a compressão ideal (média ou alta).
Se você fizer uso de anticoncepcional hormonal e  o inchaço for um problema importante para você, não interrompa o uso do método contraceptivo sem falar com o seu médico antes. Há contraceptivos que contém progesteronas sintéticas mais modernas e que retêm menos líquido, no entanto só o seu médico pode lhe orientar se há necessidade de trocar a medicação.

Dra Luana Casari da Silva Lima

CRM 122.397

Endocrinologista do Centro Terapêutico AKTA Liv

 

Links úteis:

Akta Liv Emagrecimento

Metabolismo e Gordura Marrom

Calorimetria Indireta

Tratamento Metabólico

Alimentação Termogênica

Atividade Física

Acompanhamento fisioterapêutico e Parto Normal

Você sabia que o acompanhamento fisioterapêutico durante a gestação auxilia para o parto normal?

 

Hoje em dia, várias mulheres buscam o parto normal ou parto humanizado. A Fisioterapia Obstétrica pode ajudar a gestante a preparar o seu corpo tanto para a gravidez propriamente dita quanto para o parto e pós-parto.

Na Fisioterapia Obstétrica, com o acompanhamento do Médico Obstetra, planejamento é traçado a partir de uma avaliação minuciosa e as condutas são divididas de acordo com a fase gestacional, o corpo da gestante e a presença de  alguma queixa.

No primeiro trimestre, no início do tratamento, as técnicas são de conscientização corporal e de assoalho pélvico – AP (grupo muscular responsável pela manutenção da continência, atividade sexual e parto), além de exercícios com poucos gastos energéticos e massagens relaxantes, associadas ao uso de compressas quentes ou frias, para prevenção de dores lombopélvicas, desconforto respiratório, edema (inchaço) de membros inferiores e cãibras.

No segundo trimestre, há uma atuação maior da fisioterapia obstétrica, pois há necessidade de adaptar a mulher às principais mudanças corporais, através de posturas específicas, exercícios globais com treinos de condicionamento respiratório e fortalecimento dos músculos do AP, com o uso aparelhos denominados biofeedback.

No terceiro trimestre, o trabalho será totalmente voltado para a preparação da mulher para o parto normal. São realizados exercícios e posturas específicas para relaxar os músculos do assoalho pélvico, com o início de treinos técnicos de relaxamento e expulsão, associados à respiração, para que a mulher possa entender o que irá acontecer com ela durante o trabalho de parto. Sem dúvidas, isso ajudará no preparo da gestante fisica e psicologicamente para o instante do parto.

E além de todo o preparo durante a gravidez, a Fisioterapia Obstétrica também atua no trabalho de parto. Há exercícios que objetivam estimular a descida do bebê em posições especificas, tendo em vista que esses treinamentos aumentam o diâmetro da pelve, auxiliando na descida do feto com maior facilidade.

O serviço de Fisioterapia prepara o corpo e auxilia no controle da ansiedade da mulher  para um dos momentos mais importantes da sua vida, a hora de dar luz a um filho.

A Fisioterapia Obstétrica é sinônimo de qualidade e bem estar! E você encontra esse atendimento no Centro Terapêutico AKTA Liv.

Para maiores informações, entre em contato conosco: (11) 5084-1280 / 5083-1576 / 5081-2182 /94485-0095.

 

Dra Suehellen  Anne Milhomen

Fisioterapeuta do Centro AKTA Liv especializada em Saúde da Mulher

CREFITO 3 – 173207 – F

 

Links Úteis:

Pilates e Diabetes

Fisioterapia Pélvica

Fisioterapia e Disfunções sexuais

O papel dos exercícios no Climatério e Menopausa

Na menopausa, ocorre a queda dos níveis de estrogênio, o que altera a distribuição de gordura, que passa a se acumular em torno da cintura, a famosa “gordura visceral”. Tal gordura é fator de risco para síndrome metabólica, diabetes mellitus tipo II, dislipidemias, doenças cardiovasculares, câncer e hipertensão. Associado ao aumento de gordura visceral também ocorre perda de gordura nos quadris e coxas. Enquanto uma jovem de 25 anos com 58 quilos, por exemplo, tem 27% de gordura na composição de seu peso, a mulher de 50 anos e mesmo peso terá 40% de gordura corporal.

A prática de exercícios aeróbicos e de musculação é capaz de reverter essa tendência, além de melhorar muito a condição física durante o climatério e após a menopausa.

Andar rápido (cerca de 5Km por hora) triplica o gasto energético em relação ao que é consumido em repouso. Nadar vigorosamente aumenta o gasto calórico quatro a cinco vezes e subir degraus ou andar de bicicleta (cerca de 18Km por hora) eleva-o em seis vezes o metabolismo. Este pode permanecer alta de seis a 24 horas depois de 30 minutos de exercício moderado.

Exercícios de resistência e dinâmicos preservam a massa muscular e impedem o aumento da gordura corporal.

Os benefícios da atividade física durante o climatério e menopausa não estão relacionados apenas ao peso e metabolismo.

Atividades vigorosas como corrida, ginástica e levantamento de peso levam o músculo a exercer sobrecarga sobre o osso, o que estimula o processo de reconstituição óssea permanente de nosso esqueleto, prevenindo a osteoporose.

O exercício físico aeróbio de intensidade moderada, com duração mínima de trinta minutos, pelo menos três vezes na semana é ideal para induzir modificações lipoprotéicas basais (“gorduras do sangue”, como colesterol e triglicérides).

Segundo a OMS, a prática regular de 30 minutos de atividade física de moderada intensidade, na maior parte dos dias da semana, reduz o risco de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer de cólon e de mama. O treinamento de resistência muscular e equilíbrio podem reduzir quedas e aumentar a capacidade funcional nos idosos.

 

Para um bom resultado na perda de peso durante o climatério e menopausa, é importante

alimentar-se de maneira equilibrada, reduzindo a ingestão de calorias com refeições leves, pobres em gordura e açúcar e incorporar à rotina a prática de exercícios. Uma dieta que inclua vitaminas de diferentes grupos e minerais como cálcio, magnésio e fósforo é benéfica às mulheres após a menopausa.

Consuma água! No nosso cérebro existe uma glândula chamada Hipotálamo, que controla alguns processos fisiológicos – como fome e sede. Quando estamos desidratados ou com fome, essa glândula envia sinas ao cérebro para que tenhamos sede ou nos alimentemos. Porém, essa sensação pode ser confundida – e podemos sentir fome quando, na verdade, estamos com sede. Por isso é importante nos mantermos sempre hidratados. Não espere sentir sede para se hidratar, consuma 2 litros de água diariamente.

Hidrate-se antes e após os exercícios, com uso de roupas confortáveis e de tecidos leves e evitar atividade em jejum ou após grandes refeições.

Um tratamento que leve em conta o metabolismo individual e outras particularidades da mulher na menopausa é muito benéfico.

Consulte um médico endocrinologista para maiores informações sobre exercícios no climatério e menopausa.

O Centro Terapêutico AKTA Liv conta com uma equipe formada por endocrinologistas, nutricionistas, terapeutas comportamentais e fisioterapeutas apta a auxiliar a mulher nessa importante etapa da vida.

Vamos incluir em nossas metas de 2017 a prática de atividade física!!!

 

Dra Rejane Vaz Bezerra Cruz

Endocrinologista do Centro Terapêutico Akta Liv

CRM 128.411

 

Links Úteis

Método de Emagrecimento Akta Liv

Emagrecimento Rápido

Dieta Individualizada para Metabolismo

Medicamentos para emagrecer

Dieta cetogênica e emagrecimento

Fisioterapia e Disfunções sexuais

Fisioterapia Pélvica

Por que fazer escolhas saudáveis neste final de ano?

Existe algo que precisamos aprender desde criança e é justamente na infância que nos deparamos com a triste e construtiva constatação de que a vida não nos dará tudo. Existe um limite que nos protege, inclusive porque o excesso adoece.

A construção de uma vida saudável é sobretudo aprender a fazer escolhas, e às vezes nem percebemos o quanto elas fazem parte de nossa rotina. Desde pequenos somos chamados a fazer escolhas como a profissão a seguir, os amigos com quem dividiremos os bons e ruins momentos da vida, os relacionamentos afetivos e até escolher com quem queremos construir uma história e compartilhar a vida.

A escolha implica em agir, tomar decisão, ir em direção ao que identificamos ser melhor e o melhor nem sempre é o mais fácil de fazer ou o mais gostoso,  como no caso da relação que desenvolvemos com o alimento, mas ainda assim, decidir é fundamental para que ocorram mudanças.

Lembre-se que quando decide comer “tudo” de tudo, não é escolha, é dependência.

Fazer escolhas saudáveis é dizer não para o pensamento de que você merece comer sem critério ou seleção. É dizer não para o desejo de buscar na comida uma satisfação, prazer e alegria que podem vir por outras fontes.

E como identificar se as escolhas que fazemos são saudáveis?

Geralmente a escolha saudável o deixará sem culpa, com uma sensação de liberdade e responsabilidade com aquilo que deseja para a sua vida.

Com a chegada do ano novo renovam-se os votos e promessas de mudanças, portanto, o momento é propício para fazer um balanço do que realmente lhe fez bem ou não durante este ano e daqui para frente escolher o que o levará a encontrar o seu ponto de equilíbrio.

 

Karen Maciel Tomac

Psicóloga do Centro Terapêutico Akta Liv

CPR 06/48802

 

Links Úteis

Dicas da Nutricionista para as Festas de Fim de Ano

Emagrecimento

Terapia Cognitiva Comportamental

Pensamentos Sabotadores

Pensamentos Funcionais

Manutenção de Peso

Diabetes mellitus e complicações cardiovasculares

Bom dia, pessoal! Hoje falaremos um pouco sobre complicações de longo prazo causadas pelo Diabetes.

 

As doenças cardiovasculares (Infarto do miocárdio, Acidente Vascular Cerebral e Doença Arterial Periférica) são a principal causa de mortalidade entre os diabéticos no mundo. Isso acontece porque o excesso de açúcar no sangue leva a alterações que danificam o coração e os vasos sanguíneos. No caso dos diabéticos, a expectativa de vida está reduzida em cerca de 12 anos atribuído a essas doenças, com um risco 2 a 4 vezes maior que a população que não tem diabetes.

 

O infarto ocorre quando uma artéria coronária fica obstruída e deixa de levar oxigênio e nutrientes ao coração. Essa obstrução pode acontecer devido a presença de um coágulo e/ou placa de gordura, levando a necrose do músculo cardíaco. Essas placas de gordura são chamadas de aterosclerose e podem ser ocasionadas por elevação do colesterol, hipertensão, tabagismo, sedentarismo e pelo Diabetes.

 

Infelizmente, o Infarto pode ser de difícil diagnóstico nos pacientes diabéticos, acontecendo mais precocemente e com maior gravidade. Diabéticos podem infartar sem sentir dor, porque a elevação da glicemia diminui a sensibilidade de terminações nervosas. Nesses casos, os indícios são cansaço, falta de ar e forte crise de azia.

 

O Diabetes também pode aumentar a chance de formação de placas de gordura no cérebro e nas pernas, levando ao AVC e  problemas de circulação periférica, sendo a principal causa de amputação de pernas depois dos acidentes.

 

A melhor maneira de prevenir a doença é manter alimentação saudável, praticar regularmente exercícios, perder peso se necessário e não fumar. Se você já é diabético, além dessas recomendações, evite a ingesta de carboidratos simples (açúcar e doces), use regularmente seus medicamentos com o objetivo de manter a glicemia controlada, seja  rigoroso quanto ao controle da pressão arterial e do colesterol, reduzindo assim o risco do aparecimento de qualquer uma dessas complicações.

 

Dra Izadora Ribeiro

Endocrinologista do Centro Terapêutico Akta Liv

CRM 137.168

 

Links Úteis

Akta Liv Diabetes

Diabetes e Perda de Peso

Diabetes e Dieta Cetogênica

Pilates e Diabetes

Gestação e Diabetes

Método de Emagrecimento Akta Liv

Emagrecimento Rápido

Dieta Individualizada para Metabolismo

Síndrome Metabólica e HIV

Hoje, 1º de dezembro, é o Dia Mundial de luta contra a AIDS, data que reforça as ações de esclarecimento, prevenção e tratamento da doença.

Algumas doenças endocrinológicas são mais comuns em pessoas com HIV, por conta da ação do próprio vírus e de doenças oportunistas. Além disso, a utilização da terapia antirretroviral (TARV) com objetivo de reduzir a mortalidade e melhorar a qualidade e expectativa de vida do paciente, fez com que a Síndrome Metabólica passasse a ser uma condição frequente.

E o que é a SÍNDROME METABÓLICA? É um conjunto de doenças cuja base é a resistência insulínica, ou seja, a dificuldade que a insulina tem para desenvolver sua função de retirar a glicose do sangue e levá-la às células do nosso corpo, além de inúmeras outras ações no nosso organismo.

A presença de três entre as cinco características a seguir caracteriza a Síndrome Metabólica:

  • Obesidade central – circunferência da cintura superior a 88 cm na mulher e 102 cm no homem;
  • Hipertensão Arterial – pressão arterial sistólica 130 e/ou pressão arterial diastólica 85 mmHg;
  • Glicemia alterada (glicemia 110 mg/dl) ou diagnóstico de Diabetes;
  • Triglicerídeos 150 mg/dl;
  • HDL colesterol < 40 mg/dl em homens e <50 mg/dl em mulheres

*Critérios definidos pelo Consenso Brasileiro sobre Síndrome Metabólica

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, quando presente a Síndrome pode ser responsável por uma mortalidade geral duas vezes maior que na população não afetada e mortalidade cardiovascular três vezes maior.

O tratamento para pacientes que utilizam a terapia antirretroviral é o mesmo daqueles que não possuem o HIV: Alimentação equilibrada, perda de peso se necessário, prática de atividade física e cessar o tabagismo.

Se essas medidas forem implementadas e não houver melhora dos fatores de risco ou a melhora for insuficiente, o uso de medicamentos poderá ser necessário. No entanto, isso deve ser orientado por um profissional médico, para que a escolha tenha a menor interação possível com a TARV, reduzindo o risco de efeitos colaterais. O paciente nunca deve se automedicar ou interromper o uso dos antirretrovirais sem adequada orientação médica.

O Centro Terapêutico Akta Liv conta com profissionais aptos a auxiliar o paciente no controle da Síndrome Metabólica e doenças associadas.

 

Dra Luana Casari da Silva Lima

Endocrinologista do Centro Terapêutico Akta Liv

CRM 122.397/ RQE 45065

 

Links Úteis

Fundamentos do Método de Emagrecimento Akta Liv

Akta Liv Emagrecimento

Emagrecimento Rápido

Dieta cetogênica

Akta Liv Diabetes

Índice Glicêmico

O papel da Fisioterapia no tratamento das Disfunções Sexuais

A sexualidade influencia na saúde física e mental e pode ser afetada por diversos fatores orgânicos, emocionais e sociais. A alteração de qualquer uma das fases da resposta sexual (desejo, excitação, orgasmo e resolução) pode acarretar nas disfunções sexuais.

São muitos os fatores que podem causar incômodos, dores, diminuição do desejo sexual e excitação, enfim, disfunções sexuais que impedem que a mulher tenha uma relação prazerosa e satisfatória.

As disfunções sexuais femininas podem ser apresentadas como vaginismo (contração involuntária da musculatura do assoalho pélvico que impede a penetração), dispareunia (dor durante a penetração), anorgasmia (não atingir o orgasmo), disfunção de desejo entre outros. A Fisioterapia Pélvica atua como um dos tratamentos de primeira escolha para essas disfunções, principalmente nas causas musculares (vaginismo e dispaurenia), que precisam de relaxamento e alívio da dor.

A fisioterapia pélvica utiliza diversos recursos, que têm como objetivo aliviar as dores sexuais, promover relaxamento, melhorar a vascularização local (períneo), melhorar a percepção e o controle da musculatura pélvica. Como recurso usamos a eletroterapia, biofeedback, dilatadores vaginais e treinamento muscular do assoalho pélvico.

O trabalho de fortalecimento e conscientização da musculatura perineal também é de fundamental importância durante o tratamento, o que promove um aumento do desejo sexual e consequentemente melhora da excitação e prazer.

Informe ao seu médico se apresenta algum desses sintomas e procure uma fisioterapeuta especialista em Fisioterapia na Saúde da Mulher para traçar o tratamento adequado.

O Centro Terapêutico Akta Liv conta com Fisioterapeutas especializadas na Saúde da Mulher que podem auxiliá-la.

 

Dra Suehellen Anne Milhomen

Fisioterapeuta do Centro Terapêutico Akta Liv

CREFITO 3/173207 – F

Links Úteis

Pilates e Diabetes

Fisioterapia Pélvica

Você sabe o que é Fisioterapia Pélvica?

 

O assoalho pélvico é uma estrutura complexa, formada por músculos, ligamentos e fáscias. Localiza-se na pelve, entre o osso púbis e o cóccix. Tem as funções de suportar os órgãos pélvicos (bexiga, útero e reto) em suas posições anatômicas, manter a continência urinária e fecal, e tem um papel primordial na função sexual.

As disfunções do assoalho pélvico podem levar a diversos sintomas, como:

  • Incontinência urinária de esforço: perda de urina quando tosse, espirra, pula e durante a risada;
  • Hiperatividade vesical: vontade constante de ir ao banheiro mesmo com pouca urina;
  • Incontinência urinária de urgência: quando se perde urina antes mesmo de
    conseguir chegar ao banheiro;
  • Incontinência fecal e de flatos: perda de fezes e gases;
  • Constipação ou prisão de ventre: dificuldade em defecar;
  • Disfunções sexuais feminina como dor, problema de desejo, excitação e orgasmo.

O tratamento fisioterapêutico é baseado em técnicas e recursos específicos, como cinesioterapia, eletroestimulação muscular, biofeedback, terapia comportamental, entre outras, que ajudam no controle da bexiga e da musculatura do assoalho pélvico, proporcionando qualidade de vida e melhora da auto-estima.

Se você sente um desses sintomas ou conhece alguém que sinta promova a saúde. Passe a informação adiante. Informe ao seu médico e consulte um fisioterapeuta especialista em Fisioterapia na Saúde da Mulher.

O Centro Terapêutico Akta Liv conta com Fisioterapeutas aptas a orientá-la.

 

Dra Suehellen Anne Milhomen

Fisioterapeuta do Centro Terapêutico Akta Liv

CREFITO 3/173207 – F

 

Links Úteis

Pilates e Diabetes

 

 

Página 1 de 212