Terceira Idade e Treinamento Funcional

Ao contrário do que se imagina, os idosos também podem e devem praticar o Treinamento Funcional. Os exercícios propostos trabalham diversas habilidades físicas que as pessoas com mais idade precisam para conseguir viver de forma independente.
Há fatores que atrapalham muito a qualidade de vida do idoso, como a perda de força e a diminuição da massa magra e, consequentemente, a perda da massa óssea. Estes contribuem significativamente para a redução de sua autonomia. Por isso, é bem comum vermos idosos cada vez mais sedentários ou diminuindo drasticamente o ritmo de suas vidas.
Através do Treinamento Funcional, podemos promover a melhoria da força, do equilíbrio e da resistência. Apesar dos pontos anteriores serem de comum importância, o equilíbrio é o mais trabalhado com idosos. Com uma frequência altíssima de quedas devido a problemas de equilíbrio, devemos sempre nos lembrar do risco que um idoso tem de sofrer fraturas, cujo esforço e tempo de reabilitação são grandes. É aí que entra o Treinamento Funcional para idosos. Este ajuda no fortalecimento do equilíbrio, podendo reduzir e muito o risco de quedas, garantindo autonomia fundamental para um envelhecimento saudável.
Um bom treino funcional estimula todas as capacidades físicas que a pessoa perde ao longo do tempo: força, resistência, velocidade, agilidade, equilíbrio, flexibilidade e coordenação motora. Lembrando que todos os exercícios devem ser realizados com total acompanhamento de um profissional e com toda segurança.
Assim, é possível dizer que esta modalidade de treinamento busca resgatar a capacidade de movimento do idoso, o que contribui significativamente para o controle e alívio das dores, tão frequentes nesta idade. Uma pessoa fisicamente ativa também obtém melhora da autoestima e uma sensação de auto realização.
São muitos os motivos para optar por uma vida ativa, pois como dizia Einstein: “Viver é como andar de bicicleta: É preciso estar em constante movimento para manter o equilíbrio”. Cuide da sua saúde.
Venha conhecer nosso Programa Idade Ativa! Um programa específico para maiores de 50 anos, voltado para as necessidades da terceira idade.
Marcos Antonio Lima Junior
CREF 137371-G/SP
Educador Físico do Centro Terapêutico AKTA Liv
Links úteis

Nutrição e Prática de Atividade Física na Terceira Idade

A medida que a expectativa de vida da população aumenta, cresce também a preocupação quanto a qualidade de vida dos idosos, principalmente no que se refere a sua saúde. A atividade física possui um papel fundamental na melhora da saúde dos indivíduos que chegam à Terceira Idade, ao promover o fortalecimento de todo o organismo e prevenir doenças.

A prática regular de atividade física beneficia variáveis fisiológicas, psicológicas e sociais como:

– Aumento da força muscular;

– Aprimoramento da flexibilidade e amplitude de movimentos;

– Diminuição do percentual de gordura,

– Redução dos fatores que causam quedas;

– Redução da resistência à insulina, prevenção e controle o diabetes;

– Manutenção ou melhora da densidade corporal óssea diminuindo o risco de osteoporose e melhora da postura.

– Produção do hormônio endorfina que promove sensação de bem estar;

– Redução do estresse e Ansiedade;

– Melhora da auto-estima e da capacidade de memorização;

– Papel na prevenção de doenças degenerativas como o Alzheimer.

A alimentação aplicada à atividade física tem como objetivo promover saúde, retardar a fadiga e o cansaço, auxiliar na recuperação de lesões ou traumas e promover o aumento da massa muscular.

Em relação à nutrição, nessa fase da vida a pirâmide alimentar passa por algumas modificações:

– A ingestão de sal deve ser reduzida para evitar a retenção de líquidos e o aumento da pressão arterial (hipertensão);

– Deve-se diminuir a ingestão de açúcares devido ao diabetes e ao acúmulo de gordura na região abdominal. Indica-se o consumo dos carboidratos integrais e de baixo índice glicêmico como o pão integral, batata doce, aveia, feijões, ervilha, lentilha;

– Consumir frutas nas porções adequadas a cada indivíduo;

– Diminuir o consumo de carne vermelha para reduzir a ingesta de gorduras saturadas, melhorar a função renal e o processo de digestão.

– Aumentar a ingestão de cálcio e vitaminas D (sendo que a exposição solar moderada é uma fonte altamente recomendável) e B-12;

– Elevar o consumo de fibras para melhorar a função intestinal e aumentar a saciedade.

 

Uma frequente preocupação do idoso ao iniciar um programa de atividades físicas é o de sofrer uma queda ou de passar mal durante a atividade, por isso reforçamos a importância de se fazer uma avaliação médica antes de iniciar qualquer atividade,  juntamente com a prescrição de um cardápio específico as necessidades individuais, considerando as alterações que ocorrem no organismo nessa fase da vida, e dos medicamentos utilizados.  O cardápio deve ser elaborado por uma nutricionista  e o planejamento de um treino específico deve ser realizado por um profissional de Educação Física.

 

Dra Ana Maria Delospital

Nutricionista do Centro Terapêutico Akta Liv

CRN 17.279

 

Terceira Idade e o Idade Ativa

Envelhecimento e Ganho de Peso

Terceira Idade e Pilates

Akta Liv Emagrecimento

Metabolismo e Gordura Marrom

Calorimetria Indireta

Tratamento Metabólico

Alimentação Termogênica

Atividade Física

Envelhecimento e Ganho de Peso

Já repararam o quanto é frequente a tendência de ganho de peso após os 40 anos? Principalmente com predomínio da gordura abdominal.

Isso ocorre por diversos fatores, alguns que fazem parte do envelhecimento natural e outros associados aos hábitos de vida.

Em relação a nossa genética e ao tempo, há um processo de perda de massa magra (músculos) progressivo, que se inicia principalmente após os 30 anos de idade e torna-se mais evidente conforme as décadas passam. Perdemos cerca de 0,5 a 1% de massa magra ao ano, e por volta dos 60 anos, isso se acentua, chegando de 1 a 1,5% ao ano.

Ao perder músculos, reduzimos o nosso gasto de energia diário, já que o músculo é responsável pelo consumo dos lipídios (gordura) em repouso, que chamamos de metabolismo basal. Além disso, ocorre também enfraquecimento muscular e maior risco de quedas, fraturas, redução de agilidade motora, dores. Conforme a musculatura reduz, gastamos menos energia por dia para nos mantermos vivos, e assim precisaríamos comer cada vez menos para manter o peso, já que a energia que sobra é acumulada em gordura.

Com a perda de massa muscular e aumento da gordura corporal, aumentamos o risco de desenvolver várias doenças, e ainda temos mais facilidade de engordar, necessitando de uma dieta cada vez mais restrita se não quisermos aumentar o número da balança.

Além disso, nossos hormônios também reduzem sua eficiência. Eles são responsáveis também por manter nosso metabolismo mais rápido, por formar músculos e direcionar a gordura para locais específicos. Com menos hormônios femininos naturais por exemplo, como na menopausa, a mulher perde parte da capacidade de distribuir a gordura em locais femininos, como os glúteos, e começa a acumular mais gordura no abdômen e também nos órgãos, a chamada gordura visceral, que pode causar doenças infarto do miocárdio, diabetes, esteatose hepática, AVC,  entre outras situações que irão prejudicar nossa saúde.

Além desses fatores, há o comportamento, aquele hábito da pizza no dia mais cansativo, a correria que faz abandonar o exercício para dar atenção aos filhos, a facilidade da comida pronta e calórica não nutritiva, associada ao sabor de fácil costume dos alimentos mais gordurosos e açucarados, podem levar muita gente a chegar nessa faixa etária com esses hábitos e por consequência ganharem ainda mais peso.

 

É importante lembrar que na terceira idade ocorre uma mudança no que é considerado normal 

Há alteração nos valores de circunferência abdominal e IMC que são considerados normais nos idosos.

 

E como mudar isso e não sofrer com os quilos extras “da idade”?

Uma grande estratégia é encaixar atividade física na sua vida, que fará com que os músculos se mantenham ou aumentem, não deixando seu metabolismo diminuir. Para que isso seja mais eficaz, é fundamental uma alimentação equilibrada a fim de que sejam fornecidos os nutrientes adequados para a massa muscular e reduzir os excessos que se transformam em gordura.

Para que tudo isso aconteça recomenda-se buscar orientação profissional de uma equipe especializada no assunto sempre que possível para melhor segurança e eficácia nos seus resultados, já que os profissionais podem te ajudar como se exercitar, se alimentar melhor, trocar os hábitos e cuidar das eventuais doenças e características do seu corpo com todo o profissionalismo e conhecimento necessário.

 

Dra Renata Gonçalves Campos

Endocrinologista do Centro Terapêutico Akta Liv

CRM 135.847

 

Links úteis:

Terceira Idade e o Idade Ativa

Akta Liv Emagrecimento

Inchaço e as mulheres

Metabolismo e Gordura Marrom

Calorimetria Indireta

Tratamento Metabólico

Alimentação Termogênica

Atividade Física

Programa IDADE ATIVA

No último ano, percebemos um aumento na procura pelos nossos serviços por parte de pessoas idosas. Também ficou clara a dificuldade que os pacientes apresentavam para iniciar a atividade física, seja pela presença de lesões pré-existentes ou falta de um acompanhamento especializado. A literatura científica mostra que a prática de atividade física promove redução de quedas na terceira idade. Além disso, o exercício também promove melhora da capacidade funcional, aumento das massas óssea e muscular, perda de peso, redução de processos inflamatórios e aumento da autonomia e bem-estar.

Por esse motivo, criamos um programa de atividade física exclusivo para a terceira idade: o IDADE ATIVA.

O IDADE ATIVA é uma proposta completa que integra a atividade física com uma alimentação voltada às necessidades do idoso, sob supervisão de profissionais especializados no atendimento a terceira idade, com objetivo de melhorar as aquisições relacionadas a atividade física e reduzir o risco de lesões.

O programa se baseia em 3 pilares: prática de atividade física, nutrição e fisioterapia. Inicialmente, o paciente é avaliado por uma fisioterapeuta com objetivo de detectar lesões ortopédicas pré-existentes e alterações posturais para que sejam prescritos exercícios terapêuticos específicos a necessidade de cada um. Após isso, a nutricionista avalia o cliente e prescreve um programa alimentar individual, levando em consideração possíveis comorbidades, e que promova melhores resultados na prática de atividade física. Para os exercícios, são formados pequenos grupos para prática ao ar livre, orientados por educador físico, sempre respeitando o preparo físico de cada paciente.

Entre em contato conosco para mais informações! Venha conhecer nosso espaço e esclarecer suas dúvidas com relação ao programa.