Alimentos termogênicos: o que são?

Hoje em dia, um dos grandes objetivos das pessoas é emagrecer, seja pelo lado estético ou pela busca de qualidade de vida. Para isso, temos que adicionar à nossa rotina a prática de atividades físicas e claro, uma alimentação saudável.

Existem alguns alimentos que podem ser aliados nesse processo. Os alimentos termogênicos. Mas o que são?

Os alimentos termogênicos são alimentos naturais que causam uma termogênese em nosso organismo, ou seja, aumentam a temperatura corporal, porque gastam mais energia do corpo para serem digeridos, estimulando e acelerando o metabolismo, um fator que auxilia na queima de gordura. Todos os alimentos gastam energia para serem digeridos, porém existem alguns que se destacam mais que os outros, pois induzem o metabolismo a trabalhar em um ritmo acelerado, gastando assim, mais calorias.

Conheça alguns alimentos termogênicos: Gengibre, canela, curry, café, cacau, pimenta vermelha, chá verde.

Mas atenção! Esses alimentos não são “milagrosos”. Embora aliados a uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas regulares podem ser benéficos. E o seu consumo em excesso pode trazer alguns sintomas. Sabe-se que a quantidade de cada alimento é individual e deve ser feita sob orientação profissional.

É importante também, avaliar o seu metabolismo, o que pode ser feito através do exame de calorimetria indireta e da termografia cervical. Converse com seu médico ou nutricionista sobre a necessidade de realizar tais exames.

No Centro Terapêutico AKTA Liv,temos a disposição ambos os exames e também um equipe multidisciplinar especializada no tratamento do excesso de peso.

 

Dra Mayara Vieira Benetti

Nutricionista do Centro Terapêutico AKTA Liv

CRN 40.996

 

Links úteis:

Akta Liv Emagrecimento

Metabolismo e Gordura Marrom

Calorimetria Indireta

Tratamento Metabólico

Alimentação Termogênica

Atividade Física

Meu bebê chora, é fome?

Muitos estudos se referem ao início da vida e as descobertas de um bebê sobre quem ele é e como sobreviver diante de um universo com tantas adversidades .

Gostaria de propor um momento de reflexão para as mamães de primeira viagem….

Já sabemos o quão importante é a relação mãe-bebê para o desenvolvimento de laços afetivos e relacionais do bebê, e muitas são as demandas de um pequeno que apenas sabe chorar quando sente desconforto ou dor.

Minha experiência clínica confirma que muitas mães oferecem o leite, seja o materno ou mamadeira, quando seu bebê chora. A criança rapidamente é suprida com o alimento o que por vezes pode acalmar o bebê e a mãe.  Mas será que isso é o melhor a se fazer ?

Uma mãe mais ansiosa não esperará um pouco para identificar do que se trata aquele choro, porque provavelmente seja muito difícil vê-lo chorar, mas se não for através do choro, como seu bebê pode comunicar que algo esta desconfortável ?

Estudos apontam a riqueza deste momento em que as mães podem mergulhar no universo infantil e descobrir uma maneira individual de comunicação com seu filho, à fala mamanhês que através de expressão facial e gestos ajudam a criança a descobrir o afeto; as brincadeiras e joguinhos que a mãe faz, alterando o tom de voz favorecem a revelação da identidade do bebê. Ele descobre aos poucos que é um indivíduo separado da mãe e, portanto, com suas particularidades que podem ser nomeadas pela mesma como um bebê sapeca,  esperto, teimoso, exigente, bonzinho e tantos outros adjetivos.

Crianças que desde muito pequenas são alimentadas quando choram, ou algo desconfortável ocorre, geralmente serão adultos que terão dificuldade em separar a comida do afeto, porque o alimento entrou no lugar das palavras que dão significado as experiências da vida.

Deixo aqui um alerta para que as mães se atentem para estas questões e ajudem seus filhos a construírem uma relação saudável com a comida. Não estou dizendo que deixem seus bebês chorarem indefinidamente, mas que procurem identificar a real causa do desconforto, que pode ir desde a fome, que deverá ser suprida, até uma fralda colocada de maneira desajeitada ou um desejo de aconchego.

 

Karen Maciel Tomac

Psicóloga especialista em atendimento Infantil e integrante da equipe do Centro Terapêutico Akta Liv

CRP: 06/48802

 

Links Úteis:

Aspectos Emocionais na Obesidade Infantil

Meu filho tem diabetes.E agora?

Consequências da Obesidade Infantil

Akta Liv Kids

Akta Liv Diabetes

Diabetes na Infância

 

Acompanhamento fisioterapêutico e Parto Normal

Você sabia que o acompanhamento fisioterapêutico durante a gestação auxilia para o parto normal?

 

Hoje em dia, várias mulheres buscam o parto normal ou parto humanizado. A Fisioterapia Obstétrica pode ajudar a gestante a preparar o seu corpo tanto para a gravidez propriamente dita quanto para o parto e pós-parto.

Na Fisioterapia Obstétrica, com o acompanhamento do Médico Obstetra, planejamento é traçado a partir de uma avaliação minuciosa e as condutas são divididas de acordo com a fase gestacional, o corpo da gestante e a presença de  alguma queixa.

No primeiro trimestre, no início do tratamento, as técnicas são de conscientização corporal e de assoalho pélvico – AP (grupo muscular responsável pela manutenção da continência, atividade sexual e parto), além de exercícios com poucos gastos energéticos e massagens relaxantes, associadas ao uso de compressas quentes ou frias, para prevenção de dores lombopélvicas, desconforto respiratório, edema (inchaço) de membros inferiores e cãibras.

No segundo trimestre, há uma atuação maior da fisioterapia obstétrica, pois há necessidade de adaptar a mulher às principais mudanças corporais, através de posturas específicas, exercícios globais com treinos de condicionamento respiratório e fortalecimento dos músculos do AP, com o uso aparelhos denominados biofeedback.

No terceiro trimestre, o trabalho será totalmente voltado para a preparação da mulher para o parto normal. São realizados exercícios e posturas específicas para relaxar os músculos do assoalho pélvico, com o início de treinos técnicos de relaxamento e expulsão, associados à respiração, para que a mulher possa entender o que irá acontecer com ela durante o trabalho de parto. Sem dúvidas, isso ajudará no preparo da gestante fisica e psicologicamente para o instante do parto.

E além de todo o preparo durante a gravidez, a Fisioterapia Obstétrica também atua no trabalho de parto. Há exercícios que objetivam estimular a descida do bebê em posições especificas, tendo em vista que esses treinamentos aumentam o diâmetro da pelve, auxiliando na descida do feto com maior facilidade.

O serviço de Fisioterapia prepara o corpo e auxilia no controle da ansiedade da mulher  para um dos momentos mais importantes da sua vida, a hora de dar luz a um filho.

A Fisioterapia Obstétrica é sinônimo de qualidade e bem estar! E você encontra esse atendimento no Centro Terapêutico AKTA Liv.

Para maiores informações, entre em contato conosco: (11) 5084-1280 / 5083-1576 / 5081-2182 /94485-0095.

 

Dra Suehellen  Anne Milhomen

Fisioterapeuta do Centro AKTA Liv especializada em Saúde da Mulher

CREFITO 3 – 173207 – F

 

Links Úteis:

Pilates e Diabetes

Fisioterapia Pélvica

Fisioterapia e Disfunções sexuais

Metabolismo Basal e a Termografia da Região Cervical

O Que é a Termografia da Região Cervical?

A Termografia infravermelha da Região Cervical surgiu como uma técnica potencialmente segura e rápida para a detecção da Taxa Metabólica Basal em seres humanos.

Ela avalia a atividade do tecido adiposo marrom, um tipo de gordura presente em adultos principalmente na região supraclavicular e que participa da termogênese _ capacidade do organismo de equilibrar a temperatura interna do corpo com a do meio ambiente. A termogênese é estreitamente relacionada ao metabolismo.

 

Como é feita a Termografia?

Mede-se a temperatura da pele sobre a área supraclavicular (pescoço) e as áreas esternais (tórax) no início e após a estimulação aguda ao frio. Após isso, é feito uma análise comparativa dessas temperaturas.

 

Qual a importância desse resultado?

Essa avaliação da variação de temperatura mostrou-se correlacionar diretamente com o gasto energético do indivíduo, assim quando ocorrem menores variações de temperatura antes e após o estímulo percebe-se que esse indivíduo tem menor quantidade de tecido adiposo marrom e, consequentemente, um metabolismo mais lento. Pessoas com essa característica apresentam quadro apresentam obesidade e ganho de peso mais frequentemente, sendo que os indivíduos magros costumam ter uma maior variação de temperatura, correspondendo a uma melhor taxa metabólica.

Essa ferramenta de avaliação nos possibilita uma melhor avaliação do metabolismo do paciente, permitindo individualizar o tratamento proposto para a pessoa.

 

Dra Renata Gonçalves Campos

Endocrinologista do Centro Terapêutico Akta Liv

CRM 135.847

 

Links úteis:

Akta Liv Emagrecimento

Metabolismo e Gordura Marrom

Calorimetria Indireta

Tratamento Metabólico

Alimentação Termogênica

Atividade Física